03/05/10

Sócrates, PM do Ohio...


... e do Connecticut.

«Alguns estados norte-americanos avançaram já com processos judiciais contra as agências de notação financeira, às quais atribuem responsabilidades pela crise internacional que está a atingir vários países. É o caso dos estados norte-americanos do Connecticut e do Ohio, com o primeiro a accionar judicialmente a Moody’s e a S&P, em Março passado, e o segundo a exigir a restituição dos montantes perdidos pelos fundos de pensões estatais em títulos com notação máxima.» O PS defende acção europeia em prol da responsabilização das agências de rating. (Público)

Os que dizem que isto é "tudo conversa fiada do governo e do PS para esconder as suas responsabilidades na crise" estão à beira de culpar Sócrates, o governo e o PS pelo facto de Plutão ter deixado de ser planeta. O curioso é ver como certos discursos "de esquerda" encaixam tão bem nas teses dos que aceitam como cordeiros que qualquer "instituição do capitalismo" é, só por o ser, um poço de racionalidade inquestionável. É que as agências de rating não são "o mensageiro", são parte do colectivo dos predadores.

3 comentários:

Maquiavel disse...

Discursos "de esquerda" a dizerem isso? Ahn? Quem é verdadeiramente de esquerda considera como cordeiros que qualquer "instituição do capitalismo" é, só por o ser, um poço de especulaçäo inquestionável. Isso sim.

Quem segue os desígnios da "mäo invisível" de Adam Smith, achando como verdade absoluta da racionalidade económica uma teoria com 300 anos, é de direita, neoliberal. E depois diz que outra que tem "apenas" 150 anos é uma idiotice SÓ porque "foi feita numa época diferente da nossa".

Como eu sou social-democrata (atençäo, eu näo disse "do PSD", que esses säo neoliberais) considero que o único poço de racionalidade inquestionável é aquele que prevê a irracionalidade humana, por exemplo o keynesianismo. O tal que criou uma sociedade nórdica equalitária, mas rica, e próspera. A Isländia abandonou-o, e veja-se onde está!

Porfirio Silva disse...

Se ler com ainda mais atenção constatará que *não* digo que há discursos de esquerda a dizerem "isso". Escrevo, isso sim, que «certos discursos "de esquerda" *encaixam* bem nas teses dos que aceitam como cordeiros que qualquer "instituição do capitalismo" é...». Quer dizer: certos discursos "de esquerda", que dizem que Sócrates & Co. é o culpado de tudo o que mexe, encaixam muito bem com certos discursos "de direita" que dizem o mesmo. Esses discursos permitem, a partir de posições teoricamente incompatíveis, uma "convergência" política com grossas consequências.
Quanto ao resto, há muitos capitalismos. O que há nas sociedades nórdicas também é capitalismo. A social-democracia, e aí tinham razão os leninistas, é uma forma de capitalismo. Equações que só vejam salvação em "apagar" o capitalismo, para começar tudo de novo, têm as possibilidades de sucesso que a história mostra.

Maquiavel disse...

Entendi-te e concordo.

Mais acrescento:
A social-democracia, e aí têm razão os neoliberais, é uma forma de socialismo.

Equações que só vejam salvação em "apagar" o socialismo, para começar tudo de novo, têm as possibilidades de sucesso que o presente está a demonstrar, e que a história recordará.

Conclusäo: É no meio que está a virtude! Fique bem!