27/05/10

M.S. Lourenço : filósofo


Estarei em caminho, não poderei comparecer. Com pena. É que M.S. Lourenço foi um filósofo de categoria mundial. Entre nós, parece ser só para iniciados. Tendo sido aluno durante dois anos nos seus  (na altura pouco concorridos) seminários de Mestrado, tive a oportunidade de compreender um pouco melhor como funcionava a sua raridade.
Para quem não conheça, sugiro um aperitivo: a entrevista, concedida a Miguel Tamen, que faz parte do volume A. M. Feijó & M. Tamen (eds.) A Teoria do programa. Uma homenagem a Maria de Lourdes Ferraz e a M. S. Lourenço, Lisboa, Programa em Teoria da Literatura, 2007, pp. 313-64, e que se pode ler em linha aqui.
A página de M.S. Lourenço, mesmo após o seu passamento a 1 de Agosto de 2009, continua disponível.


4 comentários:

Joana Lopes disse...

Confirmo, Porfírio, tudo o que diz.
Além disso, conheci-o pessoalmente e era, de facto, uma pessoa muito especial.
Por coincidência, sucedeu-me, na Fac.Letras, na regência da cadeira de Lógica.

Porfirio Silva disse...

Joana, a minha ignorância é grande, realmente. Eu não sabia desse seu percurso. Mas, claro, a ignorância nunca sabe quanto desconhece... e eu não sou excepção.
O M. Lourenço (é só para iniciados o que representa o "M", eh eh) era de facto uma pessoa muito especial, mas não privei o suficiente para achar que cheguei a compreendê-lo por esse lado. Já os seminários de Mestrado, com 3 ou 4 alunos a maior parte do tempo, à volta de uma mesa e com um método muito profissional de ensinar e fazer estudar, foram uma revelação.

Joana Lopes disse...

Conheci-o «em família», num círculo de amigos do João Bénard a que pertenci durante muito tempo.
Creio não estar enganada (não estou) ao dizer que em 1971, quando troquei a Lógica pelos computadores e fui para a IBM, o MSL me substituiu.

Porfirio Silva disse...

Grande serviço que a IBM prestou à Filosofia! (Joana, estou a brincar, não se ofenda...) Não consigo confirmar em que período ele esteve de facto em Letras, já que ele estudou e ensinou bastante no estrangeiro. Mas é provável que ele tenha sido seu sucessor, sim.