23/04/10

a esquerda da esquerda já tem a sua inquisição


Sobre o silêncio de Rui Pedro Soares na comissão de inquérito TVI, escreve o i: «João Semedo (BE) considerou significativo Rui Pedro Soares considerar "que a procura da verdade o incrimina". Para o comunista João Oliveira, os não esclarecimentos do ex-gestor têm a consequência de validar o que outros digam sobre ele à comissão.»
É esta a noção que esta "esquerda da esquerda" tem das garantias processuais: uma noção comparável à da inquisição. Para esta "esquerda da esquerda", como para a inquisição, há uma "verdade em si" (ou um deus) que garante o apuramento da conclusão necessária, razão pela qual o "culpado" (não o arguido, o culpado) não tem direitos processuais, apenas o dever de se expor à pureza espiritual do inquisidor. Para quem, como o relator João Semedo, já sabe a que conclusões tem de chegar a comissão para ele poder escrever o relatório que quer escrever, isto não espanta. Só está por saber se o deus em que acredita João Semedo é o mesmo em que acreditavam os inquisidores originais (sim, porque estes inquisidores são apenas cópias dos outros).

[Ler, na Terra dos Espantos, "Quem não quer ser lobo, não lhe veste a pele".]

2 comentários:

Francisco Clamote disse...

Caro Porfírio, depois da leitura do teu texto, é desnecessária a leitura do meu. De todo o modo, grato pela referência. Abraço.

Porfirio Silva disse...

Francisco, discordo. O texto do Terra dos Espantos explica com precisão técnica o que está em causa. Quem não souber isso, não percebe exactamente o que quero dizer aqui. Abraço