17/09/07

9ª Conferência Europeia sobre Vida Artificial

A semana passada estive com uma única ocupação: a ECAL 2007 (9th European Conference on Artifical Life), que desta vez foi em Lisboa.
Além de assistir, estava com um paper que explora e consolida o principal resultado da minha tese de doutoramento, mas agora já virado para uma futura implementação computacional. O paper, publicado nas Actas da conferência, intitula-se "Institutional Robotics" (Robótica Institucionalista) e tem como segundo autor Pedro Lima, do Instituto de Sistemas e Robótica (do Instituto Superior Técnico), meu orientador no doutoramento e principal cúmplice no projecto de transformar esta ideia filosófica num colectivo robótico concebido segundo a inspiração da Economia Institucionalista, uma corrente de pensamento económico não ortodoxo.
Ora, este trabalho é, do ponto de vista do enquadramento disciplinar, um tanto atrevido: é uma proposta de uma nova estratégia para projectar sistemas de controlo de equipas de robots, mas é uma proposta construída na base de uma crítica filosófica e epistemológica da Inteligência Artificial clássica e, mesmo, das correntes actualmente dominantes na robótica colectiva e nas ciências do artificial em geral. Mas por isso mesmo nos pareceu interessante, ao Pedro Lima (roboticista) e a mim (filósofo), apresentar essa ideia à comunidade da Vida Artificial. E assim fizemos.
A coisa teve um resultado interessante: além do habitual prémio atribuído pelo Comité do Programa da conferência ao melhor paper, este ano foi também atribuído, com base na recomendação do Comité do Programa, o prémio do melhor paper de filosofia levado à conferência. Ora acontece que o prémio para o melhor paper de filosofia apresentado à ECAL 2007 foi o que eu e o Pedro Lima apresentámos.
Tenho muita pena, mas o pecado de uma certa vaidade, desta vez, cometo-o e reconheço-o publicamente.

A referência formal aqui fica para registo:
SILVA, Porfírio, e LIMA, Pedro U., “Institutional Robotics”, in Fernando Almeida e Costa et al. (eds.), Advances in Artificial Life. Proceedings of the 9th European Conference, ECAL 2007, Berlim e Heidelbergh, Springer-Verlag, 2007, pp. 595-604

O artigo está online no sítio da editora: Institutional Robotics (mas aqui só está o resumo, o texto completo é a pagar; se alguém quiser mesmo ler, contacte-me que se arranja maneira de).

Abaixo, uma imagem do certificado, emoldurado e tudo, tal como me foi entregue no jantar da conferência. (O Pedro Lima tem um similar, é claro.) Por razões de segurança não mostro aqui o cheque de US$ 1000 que é a componente monetária do prémio!

Nos próximos dias direi aqui mais qualquer coisa acerca do que é isso de "vida artificial".


Foto do Certificate for Best Philosophy Paper, ECAL 2007

(clicar para aumentar)



ADENDA (30/09/07): Descobri hoje esta foto na página da ECAL 2007. Lá estou eu a receber o certificado do prémio (e o cheque...) das mãos de Takashi Gomi, estando também, entre outros, o presidente da Comissão Organizadora, o português (mas trabalhando na Universidade de Sussex) e filósofo Fernando Almeida e Costa.


(Clicar para aumentar.)



ADENDA (24/09/07): A primeira menção à Robótica Institucionalista numa publicação científica aconteceu em Outubro de 2004, na Revista Trajectos. Num artigo aí publicado exponho o que me deixa insatisfeito com as experiências existentes em Robótica Colectiva, bem como os interesses teóricos subjacentes à ideia que estava a ser formada na minha investigação de uma alternativa. A referência é a seguinte (clicando sobre a referência pode descarregar-se um ficheiro pdf com o artigo):

SILVA, Porfírio, "Por uma robótica institucionalista: um olhar sobre as novas metáforas da inteligência artificial", in Trajectos, 5 (Outono 2004), pp. 91-102

7 comentários:

Jose Rebelo disse...

Muitos parabéns. Pelos vistos os prémios tornaram-se, para ti, uma fonte de rendimentos. E que fonte...Poucos são os que se podem gabar do mesmo.
José Rebelo

Porfirio Silva disse...

Para aqueles que acham foleiro o "certificado" estar emoldurado, fiquem a saber que me foi entregue assim mesmo!

António Souto disse...

Parabéns, pois então! Pelo prémio e, sobretudo, pelo reconhecido labor robótico-filosófico. Ainda cremos que muito mais se há-de saber destas e de muitas outras aventuras 'artificiais', para deleite dos autores e orgulho dos amigos.
Foleiro o emolduramento do certificado? Não, de modo algum, foleiro mesmo foi terem manuscrito o nome com uma caligrafia pouco 'estética'!
Grande abraço!
António Souto

José Manuel Dias disse...

Parabéns pela investigação desenvolvida e pelo prémio obtido. Apesar da valorização do EURO face ao USD o valor monetário do prémio não é nada desprezível.
Abraço

CMF disse...

Parabéns, Porfírio.
Falhei esta conferência, na altura não estava em sintonia com os prazos. Mas julgo que já lá temos no laboratório um CD com os Proceedings, e vou ver se leio o artigo.
(Ainda nem lhe respondi ao desafio ali em baixo. Mais do que sem tempo, estou sem imaginação!)

CMF disse...

Porfírio, por acaso tenho estado pouco tempo no laboratório, e sempre a entrar e a sair, e nem sei onde anda o CD. Não se arranja então "maneira de"?

José Alberto Mostardinha disse...

Viva Porfírio:

Depois de 30 anos de uma saudável amizade é com profunda alegria que leio notícias como esta fazendo, egoísticamente, meu algum do prazer que, certamente, terás sentido nesta tua nomeação.

Não tenho dúvidas sobre o teu mérito, nesta e noutras áreas do teu conhecimento.

No próximo jantar será mais um motivo para brindarmos... também a este teu sucesso :-)

Forte abraço,